Guia Ortomolecular

O tratamento homeopático pode ser, eventualmente, complementado por receita ortomolecular nos casos em que só a homeopatia possa não ser suficiente à efetividade terapêutica ou ao alívio sintomático. Nesses casos, diferentes abordagens naturais devem ser cogitadas, sendo interessante a suplementação mineral com alguns oligoelementos, com algumas vitaminas e a prescrição de outras substâncias naturais (ou de ação natural no organismo humano).

Este guia não é um guia de prescrição médica, tratando-se apenas de uma apresentação do tema com alguns simples exemplos ilustrativos, sem qualquer pretensão de orientar a prática prescricional ou sequer qualquer tipo de orientação profissional, sendo importante ressaltar que as dosagens referidas não dizem respeito às reposições de carências nutricionais ou patológicas, mas apenas e tão somente a alguns exemplos sugestivos de suplementação complementar à homeopatia, segundo exclusivamente a óptica deste autor.

A composição química do organismo humano se divide em um grupo essencial de predominância ponderal que é representado pelo hidrogênio, oxigênio, carbono, nitrogênio, fósforo, enxofre, cálcio, sódio, potássio e cloro, e outro grupo de elementos traços (presentes em pequeníssimas quantidades) também essencial, sendo este representado pelo ferro e pelo zinco, mas também pelo cromo e pelo cobalto (este que está presente na vitamina B12) além de cobre e outros metais, ademais de metaloides como silício e boro, e mais ainda alguns não metais como iodo e selênio.

O grupo secundário, em termos ponderais, na composição química dos organismos humanos, mas que também é essencial, recebe o nome de metaloma por ser principalmente constituído por metais e metaloides. Com isso, o iodo e o selênio em suas formas puras podem ser chamados de metaloides, por pertencerem a este grupo metalômico, embora não sejam metais ou metaloides na tabela periódica.

Em relação aos oligoelementos apresentados a seguir, há algumas peculiaridades, quais sejam, em primeiro lugar convém observar que o ferro e o zinco, que são os metais mais presentes em termos ponderais no organismo humano, estão indicados em dosagem de miligramas, sendo os demais indicados, em geral, na dosagem de microgramas. E, em segundo lugar, outra peculiaridade é a “regra de atomicidade”, que é relacionada ao fato de que a dose mínima tem analogia numérica ao número atômico elementar e a dose máxima tem analogia numérica ao número de massa elementar.

Assim, o ferro que tem número atômico igual a 26 e número de massa atômica igual a 56, com isso, terá sua dose entre 26 e 56 mg ao dia, ou arredondando, entre 25 e 55 mg ao dia. Da mesma forma, o cromo que tem número atômico igual a 24 e número de massa atômica igual a 52, deste modo, terá sua dose entre 24 e 52 mcg ao dia, ou arredondando, entre 25 e 50 mcg ao dia. Isso vale, de certo modo, para todos os elementos traços apresentados nesta seção, lembrando que o ferro e o zinco estarão indicados em miligramas e todos os outros o serão (ou poderão ser) em microgramas.

OBSERVAÇÃO 1: Exceções a essas regras seriam o manganês, cuja dosagem se encontraria entre 2 a 5 mg ao dia, assim como o germânio, cuja dosagem se situaria entre 3 e 7,5 mg ao dia, ademais do estrôncio, cuja dose poderia estar entre 400 a 900 mg por dia. Nestes casos as dosagens não se aplicariam à regra ponderal e nem à regra de atomicidade. No entanto, a mesma regra pode ser aplicada a tais elementos no contexto do tratamento de apoio à homeopatia.

OBSERVAÇÃO 2: Exames laboratoriais e outras condutas complementares podem ser úteis e mesmo necessárias em todos os casos, a critério médico do profissional assistente.

1) Oligoelementos em dosagem para adultos:

Cobre: 30 a 60 mcg / ml… 10 gotas 2 x por dia = 1 ml / dia = 30 a 60 mcg / dia.

Cromo: 25 a 50 mcg / ml… 10 gotas 2 x por dia = 1 ml / dia = 25 a 50 mcg / dia.

Estrôncio: 40 a 90 mcg / ml… 10 gotas 2 x por dia = 1ml / dia = 40 a 90 mcg / dia.

Ferro: 25 a 55 mg / ml… 10 gotas 2 x por dia = 1 ml / dia = 25 a 55 mg / dia.

Germânio: 30 a 75 mcg / ml… 10 gotas 2 x por dia = 1 ml / dia = 30 a 75 mcg / dia.

Manganês: 25 a 55 mcg / ml… 10 gotas 2 x por dia = 1 ml / dia = 25 a 55 mcg / dia.

Molibdênio: 40 a 100 mcg / ml… 10 gotas 2 x por dia = 1 ml / dia = 40 a 100 mcg / dia.

Selênio: 35 a 80 mcg / ml… 10 gotas 2 x por dia = 1 ml / dia = 35 a 80 mcg / dia.

Vanádio: 20 a 50 mcg / ml… 10 gotas 2 x por dia = 1 ml / dia = 20 a 50 mcg / dia.

Zinco: 30 a 60 mg / ml… 10 gotas 2 x por dia = 1 ml / dia = 30 a 60 mg / dia.

2) Vitaminas em dosagem para adultos:

Vitamina B12 (dosagem em termos de cobalto pela regra de atomicidade): 30 a 60 mcg / ml… 10 gotas 2 x por dia = 1 ml / dia = 30 a 60 mcg / dia.

Vitamina D: 400 a 500 UI / ml… 10 gotas 2 x por dia = 1 ml / dia = 400 a 500 UI / dia.

3) Outras substâncias em dosagem para adultos:

Amora: 150 a 300 mg / cápsula... 1 CP VO ao dia = 150 a 300 mg / dia.

Isoflavona: 150 a 300 mg / cápsula… 1 CP VO ao dia = 150 a 300 mg / dia.

Melatonina: 3 a 5 mg / cápsula… 1 CP VO ao dia = 3 a 5 mg / dia.

4) Tabela de Venturelli (dosagens infantis):

Crianças a partir de 12 anos: Dosagem de adultos.

Abaixo de 12 anos: 1 / 2 (metade) da dose de adultos.

Abaixo de 8 anos: 1 / 3 (um terço) da dose de adultos.

Abaixo de 4 anos: 1 / 4 (um quarto) da dose de adultos.

Abaixo de 1 ano: 1 / 5 (um quinto) da dose de adultos.

Recém-nascidos: 1 / 6 (um sexto) da dose de adultos.

RN de baixo peso: 1 / 7 (um sétimo) da dose de adultos.

5) Uso externo:

Xampu de sulfeto de selênio a 2,5 % em 100 ml (2,5 mg de sulfeto de selênio / ml) que é a composição do Selsun Ouro®.

6) Correlações terapêuticas dos oligoelementos:

Cobre (30 a 60 mcg / dia): Adjuvante no tratamento de doenças do sangue (anemia e leucopenia) e do sistema endócrino (infertilidade e hipotireoidismo).

Cromo (25 a 50 mcg / dia): Auxiliar na terapêutica dos distúrbios do metabolismo da glicose e das lipoproteínas.

Estrôncio (40 a 90 mcg / dia, podendo chegar a doses dez mil vezes maiores, até 400 a 900 mg / dia): Pode participar do tratamento das doenças dos ossos. Havia disponível uma medicação registrada com o nome de Protos® em sachês com pó granulado de 2 g para dose diária de ranelato de estrôncio, para o tratamento de osteoporose.

Ferro (25 a 55 mg/ dia): Correlacionado ao tratamento de doenças da medula óssea.

Germânio (30 a 75 mcg / dia, podendo chegar a doses cem vezes maiores, até 3 a 7,5 mg / dia): Doenças autoimunes e respiratórias.

Manganês (25 a 55 mcg / dia, podendo chegar a doses cem vezes maiores, até 2 a 5 mg / dia): Doenças ortopédicas e reumáticas (osteoporose e artrites, por exemplo).

Molibdênio (40 a 100 mcg/ dia): Ajuda na prevenção de cáries e de algumas formas de câncer.

Selênio (35 a 80 mcg / dia:) Auxiliar no tratamento de doenças nervosas.

Vanádio (20 a 50 mcg): Adjuvante na terapêutica de transtornos do metabolismo dos carboidratos.

Zinco (30 a 60 mg / dia): Auxiliar no tratamento dos problemas relacionados ao metabolismo da glicose.

7) Classificação Sistêmica Ortomolecular:

Pela classificação química em geral, matéria é tudo aquilo que ocupa lugar no espaço e tem massa, sendo que massa é uma grandeza escalar que determina a inércia e o peso da matéria (grandeza é atributo de fenômeno, corpo ou substância, ou seja, é tudo aquilo que pode ser aferido). No contexto astroatômico, todavia, esses conceitos são distintos no sentido de apresentarem correspondência aos princípios aristotélicos, compatibilizando-os à abordagem terapêutica de Paracelso…

7.1) Matéria: Terra (princípio sólido)… Metaloide, silicato. Ou de temperamento melancólico, nervoso, de conformação vertebral.

a) Definição: Sistema orgânico de sustentação, típico dos vertebrados, sendo originário do cordoblasto e constituído principalmente pelos tecidos conjuntivos (ósseo, cartilaginoso, denso, frouxo e, em menor escala, parcialmente o tecido adiposo).

b) Elementos químicos: Manganês, ferro, cobalto, estrôncio e molibdênio.

7.2) Antimatéria: Ar (princípio gasoso)… Nitrogenoide, sulfúrico. Ou de temperamento sanguíneo, sociável, de conformação respiratória.

a) Definição: Sistema orgânico de oxigenação, originário do ectoblasto e constituído principalmente pelo aparelho respiratório (nariz, boca, traqueia, brônquios e pulmões).

b) Elementos químicos: Germânio e selênio.

7.3) Mesomatéria: Água (princípio líquido)… Hidrogenoide, carbônico. Ou de temperamento fleumático, sonhador, de conformação digestiva.

a) Definição: São os humores sistêmicos, o que levou Paracelso a refutar a teoria galênica temperamental, visto que a teoria hipocrática humoral se aplicaria apenas ao elemento aquático e não aos quatro elementos aristotélicos. O sistema humoral se origina do endoblasto e se constitui principalmente do aparelho digestivo e dos sistemas circulatório e endócrino.

b) Elementos químicos: Bromo, zinco e cobre.

7.4) Intermatéria: Fogo (princípio fotônico)… Oxigenoide, fosfórico. Ou de temperamento colérico, determinado, de conformação muscular.

a) Definição: Sistema calórico do organismo, de caráter metabólico, que tem sua origem no mesoblasto e é formado essencialmente pela musculatura lisa e esquelética (sistema neuromuscular).

b) Elementos químicos: Iodo, cromo e vanádio.

8) Reclassificação da Posologia Ortomolecular:

Neste caso são incluídos também os elementos de prescrições extraordinárias, quais sejam...

O iodo, que é controverso, embora haja uma forma farmacêutica industrializada e registrada com o nome de Iodoral® em tabletes de 50 mg de iodeto de potássio, sendo que as soluções saturadas de iodeto de potássio apresentam 50 mg por gota e estão indicadas em certos casos de tempestade tireotóxica.

O bromo, o qual tem indicação limitada em seres humanos, sendo o brometo de potássio mais utilizado na medicina veterinária, em cães e gatos.

O cloreto de magnésio, que deve ser utilizado com cuidado pelos riscos de arritmia cardíaca, sendo preferível a dose em analogia ao magnésio e não ao conjunto de magnésio e cloro.

O bismuto, cuja utilização se restringe ao aparelho digestivo e não se trata sequer de um elemento considerado essencial.

Enfim, levando em conta a “regra de atomicidade”, que é relacionada ao fato de que a dose mínima tem analogia numérica ao número atômico elementar e a dose máxima tem analogia numérica ao número de massa elementar, a reclassificação dos critérios de dosagem ortomolecular divide os elementos químicos em dois grupos posológicos...

8.1) Grupo dos elementos em posologia de miligramas: Grupo do ferro...

a) Bismuto (83 a 209 mg / dia, ou aproximadamente, 80 a 200 mg / dia): Auxiliar nos transtornos digestivos, podendo ser o subgalato, subcitrato ou subsalicilato.

b) Bromo em posologia do brometo de potássio, com a regra em analogia pelo bromo (35 a 80 mg / dia): Doenças neurológicas e psiquiátricas.

c) Estrôncio (38 a 87 mg / dia, ou aproximando, 40 a 90 mg / dia): Pode participar do tratamento das doenças dos ossos. Havia disponível uma medicação registrada com o nome de Protos® em sachês com pó granulado de 2 g para dose diária de ranelato de estrôncio, para o tratamento de osteoporose, que foi descontinuada em 2018 por razões comerciais, mas para efeitos de complementar a homeopatia, vale a regra de atomicidade.

d) Ferro (26 a 56 mg / dia, ou aproximando, 25 a 55 mg / dia): Correlacionado ao tratamento de doenças da medula óssea

 

e) Iodo em posologia do iodeto de potássio, com a regra em analogia pelo iodo (53 a 127 mg / dia, ou aproximadamente, 50 a 130 mg / dia): Referido ao tratamento de alguns casos de crise tireotóxica ou na prevenção de câncer da tireoide em situações de desastre radioativo.

f ) Magnésio em posologia do cloreto de magnésio, com a regra pela analogia por ambos os elementos, 12 + 17 = 29 e 24 + 35 = 59 (30 a 60 mg / dia) ou senão, ainda melhor, com analogia pelo magnésio (12 a 24 mg / dia, ou aproximadamente, 10 a 25 mg / dia) : Auxilia no tratamento da hipertensão arterial sistêmica.

g) Zinco (30 a 65 mg / dia, ou aproximadamente, 30 a 60 mg / dia): Auxiliar no tratamento dos problemas relacionados ao metabolismo da glicose.

8.2) Grupo dos elementos em posologia de microgramas: Grupo do cobre...

a) Cobre (29 a 30 a 64 mcg / dia, ou aproximadamente, 30 a 60 mcg / dia): Adjuvante no tratamento de doenças do sangue (anemia e leucopenia) e do sistema endócrino (infertilidade e hipotireoidismo).

b) Cromo (24 a 52 mcg / dia, ou aproximando, 25 a 50 mcg / dia): Auxiliar na terapêutica dos distúrbios do metabolismo da glicose e das lipoproteínas.

c) Manganês (25 a 55 mcg / dia): Doenças ortopédicas e reumáticas (osteoporose e artrites, por exemplo).

d) Molibdênio (42 a 96 mcg / dia, ou aproximando, 40 a 100 mcg / dia): Ajuda na prevenção de cáries e de algumas formas de câncer.

e) Selênio (34 a 79 mcg / dia, ou aproximando, 35 a 80 mcg / dia): Auxiliar no tratamento de doenças nervosas.

f ) Vanádio (23 a 51 mcg / dia, ou aproximando, 20 a 50 mcg / dia): Adjuvante na terapêutica de transtornos do metabolismo dos carboidratos.

g) Vitamina B12, dosagem em termos de cobalto pela regra de atomicidade (27 a 59 mcg / dia, ou aproximadamente, 30 a 60 mcg / dia).




 
  Site Map